quarta-feira, 19 de julho de 2017

Pontes do Bem


Você que gosta de cachorro com certeza fica comovido com tanto abandono, animais passando frio, fome, filhotes ao relento, maus tratos... Nós mesmos, temos postado tantas notícias ruins ultimamente! Só que junto com a empatia e a sensibilidade das pessoas, são necessárias atitudes para salvar vidas e acredite TODO MUNDO PODE FAZER ALGUMA COISA. Nós acreditamos na solidariedade das pessoas e acreditamos mais ainda em “pontes do bem” que unem “quem quer ajudar e não sabe como”, com “quem precisa de ajuda e não tem como pedir”. É por acreditar nisso, e por estarmos atravessando uma das maiores crises da história do Projeto é que listamos aqui ALGUMAS ATITUDES SIMPLES que podem fazer toda a diferença na vida dos nossos animais. Vamos salvar vidas JUNTOS?


1.     Proteção animal custa caro! E sem dinheiro não se faz nada. Nós pagamos: castrações, transporte, remédios, despesas veterinárias, vacinas... Então cada cão acolhido significa um gasto para o Projeto e se não temos dinheiro, não podemos acolher o animal. Você pode doar qualquer valor e no nosso blog você encontra “botões de doação” do lado esquerdo, para pagar uma castração ou uma vacina para um animal acolhido. 

  
2.    Os animais precisam comer e consomem 4 toneladas de ração por mês. Parte dessa ração é comprada e outra parte é doada nos nossos coletores. Você pode organizar uma campanha entre família, amigos e colegas de trabalho para que tragam ração, que você vai juntar e doar para a gente. Vale pedir ração como presente de aniversário, fazer um jantar entre amigos e pedir ração de “entrada” e levar essa proposta para sua empresa promover uma campanha entre funcionários.

3.    Muita gente presta serviços e pode fazer uma rifa entre clientes. Vale uma podologia, uma massagem, um tratamento de beleza, um book de fotografias, um bolo, brigadeiros, perfumes...  Você vende para seus clientes e reverte o valor para a gente. Quantos animais você pode ajudar em uma atitude tão simples!

4.    Tem campanhas que não custam nada e ajudam muito. Os cães usam muito jornal para se proteger do frio e para mantermos os locais limpos. Que tal fazer uma campanha de jornal no seu local de trabalho ou na sua família?

5.    Nós precisamos muito de produtos de limpeza. Tem contato com empresas, mercados? Que tal pedir uma doação e encaminhar pra gente? Ou oferecer algum desconto para os clientes que fizerem alguma doação?

6.    Nós fazemos bingos beneficentes e precisamos de prendas. Temos certeza que você deve ter algo que não usa na sua casa e pode ser legal para nossos eventos.

7.    Você tem um carro e um tempinho livre? Pode nos ajudar a retirar doações, separa-las, transportar cães...

8.    Compartilhar nossas postagens ajuda muito e não custa nada. Quanto mais gente conhecer nosso trabalho, mais animais podem ser adotados e amparados

9.    Você não pode adotar, mas talvez possa fazer lar temporário para um cãozinho enquanto ele aguarda uma adoção. São alguns dias na sua casa e uma vida nova para um animal que vivia na rua ou em um Abrigo.

1    Que tal fazer uma campanha de cobertores, toalhas, tapetes e lençóis para esquentar nossos animais? Para uma pessoa não se doa uma toalha  manchada, furada, mas para os animais tudo é bem vindo e pode ser aproveitado.


Com a união de todos podemos fazer muito mais! 
O que VOCÊ PODE FAZER PARA NOS AJUDAR HOJE? Conta pra gente se tiver outras ideias!
#PONTEDOBEMCSF

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Cão sem Fome ajuda cães abandonados

No dia 28 de julho de 2017 a Protetora D Nilza faleceu deixando 120 animais entre cães e gatos, que hoje estão sendo cuidados com muito sacrifício, pelo Cão sem Fome.
Nossos esforços têm sido para organizar as coisas, que ficaram muito complicadas nos últimos meses e como se isso não bastasse, recebemos uma notícia muito triste:
Um vizinho próximo ao nosso Quintal abandonou um sítio, deixando para trás vários cães sem comida e abrigo.

O Cão sem Fome não é um Projeto que atua na área de resgates, pois não temos estrutura para isso. Nosso objetivo é ajudar Protetores que já socorrem os animais das suas comunidades e nesse caso, atendemos ao pedido do Protetor Amyr, que assumiu os cuidados com os animais da falecida D Nilza e estava muito preocupado com a situação dos cães abandonados no sítio

Nesse domingo 17/07 nossa equipe de voluntários foi até lá para tentar ajudar no que fosse possível e se deparou com uma situação desesperadora!  Ao todo são 3 mãezinhas e 17 filhotes abandonados, além de alguns cães adultos. 

O que pudemos fazer no momento foi acomodar os cães, principalmente os filhotes que estavam ao relento em um local mais protegido, levar comida e os cuidados veterinários do Dr Eduardo, do Bichanus Pet Shop, que foi voluntariamente socorrer os animais.

Primeira ninhada encontrada no matagal
Mãezinha e filhotes amparados pela nossa equipe

Mais filhotes encontrados no meio do mato
 Todos recolhidos e abrigados

Neste local há muito a ser feito e precisamos de ajuda! 
As mães precisarão de internação e serão atendidas semana que vem. Durante essa semana o Protetor Amyr vai medica-las e levar comida para os cães.
Há 6 fêmeas no local precisando de castração urgente, algumas estão sob os cuidados de um vizinho que está nos ajudando, mas sem a mobilização de todos não conseguiremos socorrer esses animais.  Agradecemos aos voluntários que dedicaram o seu domingo para essa ação e ao Dr Eduardo do Bichanus Pet Shop pelo atendimento veterinário.







Alguns filhotes já estão sendo preparados para adoção e precisamos muito de divulgação para que saiam de lá com urgência. É impossível garantir a segurança deles no sítio e não temos lugar para abriga-los, pois todos nossos Quintais estão lotados e muito acima da sua capacidade.








Você pode ajudar:
- Doando Vacinas, Castrações e Ração através do nosso Blog (tem botões do lado esquerdo para isso)
- Deixando uma doação de produtos de limpeza e jornais nos postos de arrecadação que você encontra no nosso site
- Adotando um filhote através do email adocaocaosemfome@gmail.com

Esses peludinhos só contam com vocês!








terça-feira, 28 de março de 2017

Campanha de Páscoa



Começou a Campanha de Páscoa com o objetivo de arrecadar ração para os 500 animais carentes do Projeto Cão sem Fome.
Você pode fazer a sua doação aqui no blog, usando os botões que aparecem aí do lado direito.
Basta escolher o valor da sua doação, clicar e pronto!
Você ajudou um cãozinho passar a Páscoa de barriguinha cheia!
Muito obrigado pessoal!


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

"O Abandono que deu certo" por Keké Flores


" O Abandono "
Todo dia antes de dormir ele é o último que vou beijar, trocar a fralda, dar a mamadeira, hj tbm coloquei um pouco no sorinho pq ele não conseguiu beber muito líquido.
Faço isso todos os dias. Fico sentada do lado do berço fazendo essas coisas e conversando com ele, falo o quanto ele me fez , e ainda me faz feliz etc e muitos etc...
E agradeço, falo muito "obrigada, obrigada, obrigada" seguidos de beijinhos na testa.
Penso, penso muito no dia da nossa separação, sei que não está longe, e sei tbm que nunca estarei preparada.
Penso no ABANDONO, e sobre a pessoa que um um dia fez isso com ele.
Apenas sei que foi uma mulher, que o levou já paraplégico para dar um banho num Pet Shop e nunca mais apareceu pra buscá-lo, e assim ele foi parar no CCZ.
Até os dias que ele viveu no CCZ eu não me conformava com essa pessoa ter feito isso, desejei muito mal, mas quando eu o adotei todo meu pensamento mudou.
Queria muito conhecer essa pessoa, queria agradecer, queria falar que sou eu que cuido do cão que ela abandonou, e que eu a perdoava, talvez até daria um abraço de agradecimento, pois ela me deu um dos maiores presentes .
O abandono que deu certo, o abandono que faltava pra completar meu coração, o abandono que poderia hj talvez ter sido uma eutanásia num CCZ qualquer, o abandono da sorte e isso é muito raro.
Felipe nunca sentiu falta da antiga casa ou da antiga dona, ao chegar na minha casa e já no segundo dia, ele atendia pelo nome Felipe e me seguia por toda a casa, num amor inigualável, como se já fosse meu desde filhote.
Claro que um dia a pessoa que o abandonou pagará com as consequências , não desejo, mas a tal justiça divina, essa que não falha, essa que faz com que as consequências cheguem nas pessoas.
Eu fiz parte do abandono da sorte, mas muitos " Felipes" não tem.
Agora aqui sentada pertinho dele, olhando ele dormir, e após dar muito beijinho cafungando seu cheirinho, escrevo pra variar um grande "textão", e dividir um pouquinho com vocês o que "um dos" ABANDONO mudou minha vida.

NOTA: O Felipe infelizmente faleceu na manhã seguinte à esse texto tão lindo.
 Agradecemos à querida Keké Flores que nos autorizou publica-lo e por compartilhar conosco esse momento.
Felipe, você foi uma luz e agora está brilhando como nunca e estará sempre vivo nos nossos corações.

sábado, 12 de novembro de 2016

Campanha de Natal Cão sem Fome 2016





Começou a Campanha de Sacolinhas de Natal para os nossos peludos!
Funciona assim: Nós montamos uma sacolinha com o nome de cada peludo atendido pelo Projeto e você escolhe quem quer ajudar.
Pega a sacolinha, coloca 2 Kg  ou mais de ração, 1 litro de desinfetante, petiscos e tudo que seu coração mandar e devolve para a gente.
Pronto! Você ajudou um bichinho a passar as festas de barriguinha cheia.
Você pode pegar e devolver suas sacolinhas nos nossos parceiros:

1.     Pet Shop Bichanu´s – Rua Redenção, 498 – Belém
2.     Studio Performance Pilates e Estética – Rua do Oratório, 2328 - Mooca
3.     Alessandro Alves Hair - Rua Coronel Lisboa, 979 - Vl Mariana 
4.     Corsaluuce Dogsplay – R Sapucaia, 648 – Mooca
5.     Pet Express - R Siqueira Bueno, 1973 - Mooca
6- Avelinos Pet - R Maio Augusto do Carmo, 133 - Jd Avelino 

Você também pode se tornar um ponto de arrecadação ou pedir suas sacolinhas pelo email caosemfome@gmail.com
Que tal mobilizar amigos e parentes e fazer uma grande corrente do bem?
São 500 peludos que esperam ganhar suas sacolinhas de Natal!

Se estiver longe, você também pode colaborar doando sacolinhas virtuais neste blog. Para isso basta clicar no botão indicado ao lado.
Com o dinheiro arrecadado, nós compramos ração e petiscos para os animais que ficarem sem suas sacolinhas. Afinal todos merecem ter um Natal alegre e digno, não é?

Agora é só abrir seu coração e ajudar um bichinho neste Natal!
Participe! Divulgue! Doe!

Nossos peludos agradecem!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Doe sangue e salve uma vida!


            

Todos já viram esse slogan na TV algum dia. E realmente é importante a doação de sangue. O que talvez vocês não saibam é que o seu bichinho de estimação também pode salvar vidas e o mais legal, ajudar o CÃO SEM FOME!
            Vou explicar:
·         Primeiro, uma transfusão sanguínea muitas vezes é aquilo que separa a vida da morte de um animal, por exemplo, com uma anemia grave ou politraumatizado.
O sangue doado pode ser conservado ou ainda separado em subprodutos, o que possibilita ajudar mais de um animal.
Doar sangue não faz mal para a saúde! Apenas uma pequena quantidade é retirada, o processo não causa dor e não demora nem uma hora.
Tornando seu bichinho doador você já está realizando um ato de solidariedade e ainda por cima, o seu animal receberá gratuitamente os exames de hemograma (verifica anemia e infecções), ALT e FA (que avaliam o fígado) e também ureia e creatinina (que avaliam os rins).
Para ser doador ele precisa cumprir alguns pré-requisitos
            - Ter de 1 a 8 anos
            - Cães devem pesar mais de 30 Kg e Gatos mais de 4,5 Kg.
            - Devem ser dóceis
            - Vacinados e vermifugados
            - Gatos somente os domiciliados (sem acesso a rua).
 * Gatos precisam de uma pequena tranquilização na hora da doação.
·         Segundo: o DOGNOSTIC, nosso laboratório parceiro, vai converter a sua doação de sangue, em exames gratuitos para os animais do Projeto Cão sem Fome.
Como doar:
Você tem a facilidade de 2 endereços (um na zona leste e outro na zona sul), além do check-up do seu bichinho.
Como sempre falta sangue, quanto mais doadores, mais animais serão beneficiados com sangue e exames.
É muito fácil você ajudar.
Mande um email para caosemfome@gmail.com e no campo assunto coloque DOADOR. Entraremos em contato para pegar os dados do animal e mandar a autorização para a unidade de sua escolha. Então é só fazer o exame de sangue (sem custo), que saindo o resultado e estando tudo correto, você pode agendar a coleta de sangue para a bolsa ou ainda se disponibilizar como doador para quando não houver mais estoque. A doação pode ser feita até 4 vezes no ano sem prejuízo nenhum para o seu animal.

Então vamos participar dessa corrente do bem!!!


DOE SANGUE E AJUDE OS ANIMAIS!

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Era uma vez... Um padrinho e sua afilhada.



No dia 01/10  foi o lançamento do nosso Calendário Cão sem Fome 2017 em uma festa simples, mas com momentos únicos como o encontro do padrinho Sérgio com a sua afilhada Magrela. Vale a pena ler uma história tão emocionante!





"Quando as tias do Cão Sem Fome apareceram, logo cedinho, lá onde eu moro, já pensei... vieram buscar mais alguns dos meus auaumigos para tentar arrumar família para eles... tomara que consigam.
Meu nome é Magrela, sou uma vira lata de uns 8 anos – deve ser isso pelo que falam, talvez um pouco menos... nem eu sei direito.
Vim parar no abrigo depois de ser bastante maltratada e judiadas nas ruas... não gosto nem de lembrar... apanhei, passei fome... muita fome. Meu nome não é Magrela a toa. Quando me resgataram e me trouxeram para cá, eu realmente fazia jus a esse nome.
Pode não ser o nome mais bonito do mundo... mas é meu.
Até aí, tudo bem,... eu também sei que não sou a cachorrinha mais bonita do mundo. Não sei se nasci assim, se foi pelo nervoso de toda minha vida na rua, se foi algo que desenvolvi .... sei lá. Sei que tenho um problema que faz com minha pelagem não seja uniforme..
Não sinto dor...claro que me incomoda um pouco, mas... querem saber: tudo bem, eu vivo bem assim. Fico aqui no abrigo, compreendo que não sou do tipo adotável... ninguém vai me querer, ninguém vai gostar de ter um cachorro assim como eu.... então tudo bem... fico aqui.
Vira e mexe me pegam, mas nunca é para uma feirinha de adoção. Invariavelmente é para fazer um exame...As tias do Cão Sem Fome insistem em tentar descobrir o que eu tenho.
Não é sarna... não é fungo... aparentemente não é nada de pele...e se elas, que estudaram, que entendem não sabem... quem sou eu, uma viralatinha, para tentar entender... então, fico aqui e tudo bem.
Logo cedinho, quando a van veio buscar meus amigos, até dei um latidinho, como que desejando boa sorte para eles.... tomara que arrumem uma casinha... que tenham um carinho... que... vixi, estão vindo para o meu lado.
Ai ai ai... lá vou eu, provavelmente novos exames, novas picadas....
No caminho para sei lá aonde.. fiquei quieta... a verdade: estava morrendo de medo.. eu morro de medo de rua... Foi na rua que fui maltratada, foi na rua que apanhei, foi na rua que me machucaram, foi na rua que passei fome........... não gosto da rua.
Chegamos... Todos meus auaumigos vão para um lugar..onde tentarão ser adotdos... eu vou para uma sala fria... escuto uma das tias dizer que é um consultório...... enfim... deve vir picada, deve vir mais coisa...
Uma tia nova fica mexendo em mim... ela é carinhosa... fala umas coisas que eu não entendo... parece que meu problema não é de pede é... xi, que palavra difícil... endócrino (é isso?)... parece que tenho um probleminha numa glândula (uma tal de tireoide... isso existe?.. e eu tenho?).
Saio de lá e me levam para uma sala mais gelada ainda... um tio chega e fala: vamos tomar banho?
Banho?
Gente... eita coisa ruim.... eu não quero saber disso não... choro, grito... me molham inteira e depois me jogam num vento quente e esfregam uma toalha....Não... não está doendo.. mas sinceramente não gostei nem um pouco.
Terminada a tortura (gente, vocês humanos fazem isso todo dia? Vocês são malucos!!!!), me colocam uma roupinha ......e falam que eu tô linda... Sei sei sei....
Aí, uma tia diz que tem alguém louco para me conhecer... um cara que, mesmo de longe, está cuidando de mim... um tal de padrinho. Eu tenho isso?
Sabem que, preciso admitir, faz um tempinho... como não tenho lá muita noção de tempo não sei dizer se é um mês, dois, seis ... sei lá... um tempo aí.
Então, sabem que, faz um tempo aí que realmente eu tenho tido uma sensação diferente... Não sei o que é, parece que recebo um carinho diferente.. é algo que não sei explicar.. mas tem realmente algo diferente comigo.
Aí entra no lugar um cara.... um cara grande, de barba... engraçado, eu reconheço que o que sinto com ele é mais ou menos o que venho sentindo nesse tempinho... uma nova energia de carinho, de atenção.. a tia fala que ele é meu padrinho.
Ele me pega no colo e me dá um abraço.... Ah.. eu já sabia sim o que era um abraço... as tias do Cão Sem Fome vira e mexe me abraçam quando vão lá.... mas esse pareceu especial... pareceu que era só pra mim...
Eu fico no colo do meu padrinho um tempo... melhor ficar quietinha... ele parece boa gente, mas muitos que eu achei, no passado, que eram boa gente,, me chutaram, me maltrataram.... então, sei lá... seguro morreu de velho.
Meu padrinho fica um bom tempo comigo no colo... sempre me fazendo um carinho gostoso... ele parece não se importar com minhas falhas no pelo, com meu aspecto.
Ele e as tias conversam sobre mim... falam de coisas que vou ter que fazer... não entendo nada.. mas deu para sentir que tudo aquilo era para descobrir exatamente o que tenho e para me tratar... sei lá.
Uma hora meu padrinho vira e fala.. vamos andar na rua.
Ai meu São Francisco me proteja... rua é tudo o que eu não gosto.
Mas mesmo assim ele me leva...eu fico dura... será que já não basta tudo que passei na rua...
Ele me leva para a calcada... vejo, ao lado, meus amigos que estão para adoção... eles parecem felizes, todos andando, brincando, abanando seus rabos... o meu, prefiro deixar entre as pernas...
Meu padrinho me coloca na rua e.... e senta do meu lado. Que será que ele quer?
Ele conversa comigo... calmamente, vai me fazendo sempre carinho... diz que eu não preciso ter medo... que ele está ali para cuidar de mim, que nada de mau vai me acontecer... será?
Será que eu dou um voto de confiança para ele?
... como todo cachorro.. é isso que a gente faz... eu confio.. devagarinho, mas confio.
Aos poucos vou me soltando... ele sempre do meu lado, me mandando aquela energia gostosa (gente, posso me acostumar com isso...)... me fazendo carinho, falando comigo..... acho que, ao menos dessa vez, a rua não vai ser algo tão ruim.
Pois querem saber... não é que não foi ruim... foi muito divertido.
Eu andei... primeiro devagar... depois passeei... Meu padrinho é muito legal (pra mim meio doido,,, mas legal)... Ele deitou na rua, rolou comigo, eu subi nele, pisei nele, ...
Teve uma hora que eu olhei bem no olho dele... ele olhou bem no meu.... eu estava feliz... ele, pelo que senti, também estava... e então eu decidi... agora ele vai ver o que é bom.... E dei o maior lambeijo nele..... caprichado mesmo... tasquei a língua.
E ... uia.. ele gostou... me abraçou, brincou ainda mais comigo...
Ficamos mó tempão juntos... foi.. ah, sei lá. Não sei se foi o melhor dia da minha vida... mas foi sem dúvida, um dos melhores.
Daí... ele foi embora. Me apertou, me abraçou, eu dei mais uns lambeijos nele... e ele foi.
Eu fiquei um pouco mais ali na rua com meus amigos... e depois voltamos de carro para o abrigo... não todos, pq um tinha sido adotado... boa sorte.
Chegando no abrigo, corri para minha casinha... e deitei. Eu estava bem cansada do dia...mas em verdade – e isso não contei pra ninguém – o que eu queria era guardar bem guardadinho o cheiro do meu padrinho, a lembrança dele brincando comigo, a sensação mais do que boa de ter sido... ao menos um dia... amada.
Eu sei que muitos dos meus auaumigos aqui tem padrinhos... tomara que todos sejam tão legais quanto o meu.... mas, e me permitam aqui, pela primeira vez na minha vida, eu ser metida....
Muitos tem padrinhos,... mas assim como o meu.... só eu!!"
"Eu não sei se foi exatamente assim que a Magrela fez... espero que sim, ao menos foi isso que tentei deixar para ela.
São raras.. raríssimas as oportunidades que um padrinho tem de ter contato com seu afilhado ou afilhada.
São cachorros maiores, idosos, com algum probleminha e que praticamente nunca são levados para eventos de adoção. Ir nos abrigos é também algo complicado... eles ficam longe e não são locais de visitação.
Toda vez que se vai em um abrigo é com uma função: levar alimentos, vacinar, fazer reformas... algo prático, não é para passar o tempo.
Mas, melhor do que ficar lamentando é aproveitar. E foi isso que fiz com a Magrela.
Passamos em consulta, demos um banho (ela odiou... não está acostumada... mas, faz parte) e depois, fiquei ali,.. acalmando ela, mandando todas as boas energias que sei canalizar para que ela ficasse bem... e querem saber: ela ficou.
Brincamos muito na calçada...passeamos e quando fui embora, tentei nem falar muito... só olhar e desejar que tenha uma nova oportunidade de estar com ela.
Cada lambeijo, cada rabulejamento, cada sorriso, cada olhar fez valer tudo a pena...Hoje, diferente de outros dias, a Magrela sabe que tem alguém cuidando dela..."
"Ah! Gente esqueci de dizer, agora, a cada dia eu reconheço a energia do meu padrinho. Mesmo aqui, no abrigo, longe... eu sei que ele está pensando em mim e me mandando uma coisa boa de carinho e cuidado.
E eu faço o que sei fazer... mesmo aqui, no meu cantinho, eu dou um rabulejada e mando, pelo vento, um lambeijo pra ele...Espero que ele receba...."

Nota da Equipe CSF. 
Sergio Lapastina participa da Campanha de Apadrinhamento Cão sem Fome e contribui mensalmente com a manutenção da Magrela.
Magrela é uma cachorrinha idosa que tem sérios problemas de pele.
Sergio e Magrela se encontraram pela primeira vez nesse dia. Ele está ajudando a gente a pagar os exames para melhorar a qualidade de vida da sua afilhada.
Momentos assim fazem tudo valer a pena!