segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Amigos pra cachorro - Fernanda e Téo

Nunca tive cachorro, nem nunca fui daquelas crianças que vivem pedindo um cachorro para os pais. Talvez por isso tenha me surpreendido tanto com o quanto um bichinho desses é capaz de preencher nossa vida com experiências que jamais podia imaginar!

O Téo chegou na minha vida eu já era adulta, foi uma decisão minha e da minha mãe passarmos a ter um cão. Começamos a pesquisar sobre as raças e ficamos apaixonadas pelos beagles, apesar de saber da fama de vigaristas que eles têm!.. rs...
Na época, eu tinha uma preferência por escolher a raça do cão que teríamos, hoje sei que cão é cão, independente da raça e independente de ter uma!
Hoje, com tantos cães ávidos por um dono via adoção, eu jamais compraria um cachorro.
Coisas que se aprende...

Fomos em busca de descobrir onde acharíamos um filhote e acabamos encontrando, num pet shop, dois filhotes, lindos, ambos machinhos, um com a pelagem tricolor padrão dos beagles e outro (o Téo!) numa cor fora do padrão - tricolor chocolate, com olhinhos mel!
O Téo veio para o meu colo e o outro, para o colo da minha mãe! Ele me arranhou toda com suas unhinhas de agulha, não parava quieto um segundo e era lindo de morrer! O outro, um fofo também, meio assonadinho, mais quietinho...
Não tivemos dúvida: queríamos o mais espivetado!

O Téo foi um dos filhotes mais lindos que já vi pessoalmente!..
100% das vezes que saía e saio com ele, alguém se aproxima e fica encantado!
Fofo, fofo, fofo!
Sapeca na mesma medida!..
Durante a filhotice, destruiu uma mesa de jantar toda, com as cadeiras!..
Rasgou sofás, cortinas, fez xixi em cantos da casa que eu nem sabia que existiam!

E junto com toda essa má fama mais do que comprovada, descobri o quanto esse serzinho é capaz de uma parceria que jamais pude imaginar!
Sempre por perto, disposto a tornar o momento mais alegre, seja com uma provocação para que brinquemos com ele, seja com a cara de pidão querendo comida ou nos convidando para ir passear!

Assim que casei, tive que me despedir de morar sob o mesmo teto desse pitoco e a saudade que sinto dele diariamente é imensa!
Que delícia ficar juntinho dele, deitada, em épocas de inverno, um esquentando o outro, vendo tv e cochilando!

Mas para além de todo esse cotidiano cheio de histórias, o mais importante de tudo foi que ele foi o responsável por despertar em mim o olhar para os animais, de uma forma geral, como seres realmente especiais.
Foi graças a ele que hoje sou uma pessoa sensível e atuante na causa animal.
Foi através da relação que construimos que pude descobrir a imensa sensibilidade que um cão pode ter, o quanto é capaz de se fazer querido e de nos fazer sentir queridos, o quanto são inteligentes e perspicazes, o quanto são capazes de nos conhecer e até saber quando precisamos da companhia deles mais pertinho da gente, seja num momento nosso de tristeza ou doença... Quem tem um cão sabe disso.
Sempre me impressiono muito com a leitura que eles são capazes de fazer do nosso olhar!..
E a gente, do deles!

Enfim, graças ao Téo, cão dos mais lindos, arteiros e inteligentes que já vi, hoje sou alguém melhor, porque sem a menor sombra de dúvida, alguém que respeita, gosta e faz algo pelos animais é uma pessoa melhor do que era antes de fazer isto!

Ele, de alguma maneira, será eterno!


Compartilhe sua história também enviando-a para caosemfome(arroba)gmail.com !
Não se esqueça de incluir uma foto do seu peludo!


Equipe Cão Sem Fome

2 comentários:

  1. Ahhh, neim.... chorei, né?.. Esse Téo é uma coisa de louco... só quem o conhece pessoalmente, consegue se apaixonar ainda mais, do que apenas lendo a história de Fê e o vendo pelas fotos... eu o amo demais da conta!!!
    Bjos,

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto! Realmente precisamos dos animais para sermos mais humanos! É muito bom ter vc na nossa equipe!

    ResponderExcluir

Comente!