sábado, 8 de setembro de 2012

Uma chance para Rebeca (e para outros cães...)


Rebeca morava em uma casa e tinha um dono, que um dia ganhou um cachorro de raça, se desinteressou por ela e simplesmente parou de alimentá-la, para que morresse.
Vocês que acompanham o Projeto sabem que não fazemos resgates, mas quando a Protetora D Cecília pediu nossa ajuda para resgatar a Rebeca não pudemos nos omitir perante tanta barbaridade.
Trouxemos Rebeca para nosso Quintal, mas ela precisava de cuidados especiais, pois estava muito desnutrida. Tratamos Rebeca da melhor forma possível, mas nossos recursos eram escassos perante a gravidade dos fatos.

Esta é a Rebeca

Buscamos todo tipo de ajuda e hoje ela foi adotada. 
Está internada e agora realmente tem uma chance de sobreviver.

Essa história só pôde ter um final feliz devido ao trabalho conjunto de pessoas comprometidas com a causa animal.
Queremos agradecer muito:
À Fernanda, que amadrinhou a Rebeca durante esse tempo.
Às Dra Vivian e Dra Mari que foram até o Quintal consultá-la e deram os primeiros socorros.
Novamente à Dra Mari, que sensibilizada pela situação empenhou-se em arrumar um adotante para Rebeca.
À voluntária Andrea que fez o transporte da Rebeca, do Grajaú até a Clínica no Belém em pleno feriado.
E claro, à Carla, que adotou Rebeca, mesmo com a saúde debilitada.

O abandono e os maus tratos aos animais é crime de acordo com a Lei Federal 9,605/98 artigo 32, porém existe um outro tipo de crime, também hediondo, que condena milhares de animais por ano e não está prevista na lei: o preconceito.

Preconceito contra animais sem raça definida, os chamados SRD ou vira-latas, faz com que centenas deles nunca sejam adotados e passem a vida inteira em abrigos.
O mesmo preconceito infelizmente existe, até por parte de veterinários, que colocam empecilhos para internar, tratar ou socorrer um animal de abrigo.
Voluntários e protetores também sofrem esse tipo de preconceito, sendo mal atendidos em clínicas, em hotéis e pet shops, só porque trazem animais excluídos socialmente.
E em última instância, esse mesmo preconceito leva o ser humano a tomar atitudes criminosas, como essa do ex-dono da Rebeca.

Por isso, o Cão Sem Fome, hoje só tem a agradecer, a todos que desprovidos de preconceito, arregaçam as mangas para ajudar os SRD, sendo eles: bonitos ou feios; doentes ou sãos; novos ou velhos; deficientes ou não.
Essas atitudes salvam vidas e ajudam a formar uma sociedade mais consciente. Graças a essas pessoas, hoje Rebeca tem uma chance.

Muitos outros cães sem raça definida, aguardam uma oportunidade também. Se você quer um animal de estimação, adote um vira-lata de um de nossos Quintais e mude uma vida.

Todos os vira-latas são lindos, feio é ter preconceito!
Entre em contato com caosemfome@gmail.com  e conheça nossos peludos para adoção.

Alguns deles aqui:

Este é o Floquinho!
Porte médio-pequeno.
Ele foi resgatado por uma protetora após ser espancado ao se esconder numa garagem,
após ter sido abandonado em um noite fria.
Tem dificuldades para estar com outros animais, precisa ser o único animal da casa.

Esta é a Emily!
Porte médio-pequeno
Uma fofa! Super alegre!..

Esta é a Lolla!
Porte médio.
Foi acolhida na casa de campo de uma colaboradora do Projeto, mas por ser uma casa que fica vazia durante a semana (apesar de ter se armado um esquema para ela ser alimentada todos os dias), a Lolla vive escapando (e tem sido resgatada de volta por vizinhos) e precisa urgentemente de um lar onde possa ter companhia constante.
Extremamente dócil e obediente.


Equipe CSF


Um comentário:

  1. Realmente a crueldade dos seres-vivos que se acham humanos é horrível mas o bom dessa história é saber que também existem pessoas boas e com grande coração como os que a resgataram, os que trataram e quem a adotou. Tenho certeza que Deus tem um lugar bonito para todos vocês, agora os que são maus sinceramente eu não sei o que vai acontecer com eles mas que vai acontecer algo de retorno vai....

    ResponderExcluir

Comente!