quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Venha nos visitar!

Olá pessoal!

Começa mais um dia de trabalho para a Equipe CSF que está durante esta semana até 2a. que vem (04/02) com um Quiosque no Shopping Penha!..

São diversos produtos exclusivos de uso pessoal e para o lar, voltados para quem ama os animais!

Veja alguns:

Almofadas para descansar as mãos enquanto você está digitando no seu teclado. 
Coloque na frente do seu teclado um pet fofo desses e tenha mais conforto!


Combos Pet & Dono

                           Porta-chaves
Produtos sortidos

Nosso Quiosque está localizado no Piso 1 do Shopping Center Penha, à Rua João Ribeiro, 304, Penha, São Paulo/SP.

Venha nos visitar, ajude-nos a divulgar!

Esta é mais uma ação em que toda a renda arrecadada se converterá em assistência aos 340 peludos do Projeto CSF, desta vez, financiando a vacinação deles!

Participe!

Equipe CSF

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Nosso Quiosque


Pessoal,

Nosso quiosque com os produtos exclusivos Cão Sem Fome no Shooping Penha está aguardando a visita e colaboração de vocês durante esta semana até 2a. feira que vem, dia 04/02!

IMPORTANTE: aceitamos o pagamento em dinheiro ou cheque (que pode ser pré-datado)!!

Não deixe de conhecer nossos produtos!

Os 340 peludinhos contam com vocês!!

Equipe CSF

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Balcão da Cidadania no Shopping Penha


*nosso folder! 

A partir de amanhã - 29/01 até 04/02 - estaremos participando do Balcão da Cidadania no Shopping Penha em parceria com o Núcleo Assistencial Amor Divino.
Durante o período de uma semana, teremos um Quiosque no  Piso 1 onde você poderá encontrar toda nossa linha de Produtos do Bem, cuja venda ajuda na manutenção dos nossos 340 peludos.
Desta vez, toda renda será revertida para a vacinação da nossa galera.
Então vamos ajudar gente!


No nosso Quiosque, você vai encontrar: almofadas, sacolas, bonés, aventais, mochilas, artesanato, camisetas, fantoches, almofadas de notebook e muitos outros produtos customizados para quem gosta de animais.
Peças inéditas foram feitas com muito capricho especialmente para esse evento!



Ficamos muito felizes com essa oportunidade e agradecemos nossos parceiros: Núcleo Assistencial Amor Divino e o Shopping Penha, que gentilmente cedeu seu espaço para o trabalho de assistência social, abrindo as portas para que ONGs possam demonstrar suas atividades. 


O Cão Sem Fome será o único Projeto de Amparo Animal desse evento e temos certeza que nossos peludos estarão bem representados.


Então, se você não nos conhece, venha nos visitar e conhecer mais do nosso trabalho. 

Se você nos conhece apareça para fazer uma visitinha. 

Serão todos bem vindos!

Contamos com vocês! 
Nossos peludos agradecem!

Ajudem na divulgação do nosso folder para este evento e uma ótima semana para todos!

Equipe CSF

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Veja o que o seu cão faz ao fugir de casa...


Existem alguns fatores que podem determinar para onde e quão longe o cão pode fugir, entre eles o comportamento das pessoas na rua, e a personalidade do cão. Para podermos achar um cão perdido 

devemos levar alguns fatores em consideração.A maneira como o cão reage a pessoas estranhas determina até onde ele irá chegar, por exemplo. Um cão manso e alegre, do tipo que abana a cauda para todo mundo, tem mais chance de parar de fugir assim que avista um ser humano na rua. Esse tipo de cachorro, normalmente é recolhido por alguém próximo ao local da fuga, e facilmente adotado, não irá vagar muito tempo sem rumo. 



Já os cães assustados evitarão contato humano inicialmente. Com o passar dos dias, por causa da fome, tendem a diminuir o medo de pessoas estranhas e procurarem comida perto das casas. Mas, como tem essa atitude anti-social, muitas pessoas podem pensar que não tem dono, ou foram abandonados de propósito, porque passam muitos dias sem comer, e sem um teto, desenvolvendo uma aparência de maus-tratos, magreza e doença. São cachorros que podem ficar meses vagando, e mesmo assim ter um dono. 



Os cães que tem fobia de pessoas, porque foram mal socializados quando filhotes, não saíram muito de casa, e são meio "caipiras" (sic), tem maior probabilidade de serem mortos ou atropelados. Eles vão correr o mais longe que puderem, pois tudo e todos vão parecer ameaçadores. A chance de serem recuperados é muito pequena. 



A situação em que ocorreu a fuga também é importante para avaliarmos a possibilidade de resgate. Se o cão escapou por um portão mal fechado, cavou um buraco na cerca, ou pulou o muro, provavelmente sentiu um cheiro e decidiu segui-lo. Não irá muitas quadras para frente, com certeza, e tende a voltar logo. Os animais que tiveram um ataque de pânico, sempre vão correr alguns quilômetros antes de cansarem, ou encontrarem abrigo. 
O clima também determina quão longe o cachorro vai andar. Num dia muito quente, ou um temporal, vai percorrer muito menos terreno que num dia mais fresco ou a noite. 



A aparência do cão vai determinar se ele será resgatado mais rápido ou ignorado. As pessoas tendem a salvar cães de raça pura e pequenos, que são mais fáceis de colocar no colo. Um Pit Bull perdido provavelmente não vai ser levado para casa devido a sua fama de agressivo. Da mesma forma um vira-lata andando no meio-fio será ignorado, pois as pessoas podem pensar que se trata de um cão que mora nas redondezas e está dando uma volta, ou que realmente não tem dono. 



Mas, para recuperar um cão é importante prestar atenção em alguns erros fundamentais que as pessoas cometem. Não dá para sentar e ficar esperando para ver se o cão volta ou alguém acha e devolve. As primeiras horas são muito importantes, e devem ser feitas buscas em mutirão. É quando realmente o cão está por perto. Perguntar para todo mundo na rua se viu o fujão ajuda a dar pistas do itinerário que este adotou. 



Faça um plano de busca com amigos e ponha em prática nas primeiras 24 horas. Se não achar seu cão, visite todas as clínicas veterinárias da cidade, levando fotos, se possível, e descrevendo com detalhes a aparência do cão. Ofereça recompensas em dinheiro, isso mobiliza a comunidade (infelizmente). Coloque faixas e cartazes em vias expressas. Não fique limitado ao seu bairro, abranja toda a região, já que um visitante de passagem pode ter se sensibilizado e pego o animal. Pense o seguinte: em algum momento o cão terá que ir ao veterinário durante a vida. Se for um cão que precisa de tosa, como um poodle, avise todos os pet shops. Se for um vira-lata, pense bem, provavelmente ninguém vai roubá-lo, então ou ele ainda está vagando ou foi recolhido por alguém, e cabe, ao dono tentar recuperá-lo. 



Para quem encontra um cão, lembre-se: todo o cachorro de raça perdido tem dono. Você pode até recolhê-lo, mas vai ter que tentar achar o proprietário. Se for um vira-lata, preste atenção se ele não é um desses cães que só está dando mesmo uma voltinha rápida. Siga-o por um tempo, caso contrário, você pode capturar um cão que não fugiu de casa. 



Todos os cães se acostumam a novos lares, desde que bem tratados. Mas jamais esquecem seu lar antigo. Podem inclusive desenvolver problemas sérios de ansiedade. Pense que se você achou um Labrador na rua, o dono deve estar desesperado atrás dele. Mas faça sua parte, avise a todos que está com o cão. Também cabe ao proprietário o interesse em procurá-lo, senão não é amado o suficiente, realmente merece uma nova casa.



texto escrito pela Dra. Luelyn Jockyman


Equipe CSF

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

"Adotei, não gostei, acho que vou devolver."


Infelizmente é uma prática comum, pessoas adotarem um animal e depois devolverem.
Essa devolução se dá por vários motivos.
Há pessoas que se precipitam em suas atitudes, ficam sensibilizados com uma situação e resolvem adotar um animal. Quando os problemas começam a aparecer essas pessoas não tem maturidade, nem paciência para resolvê-los e o caminho mais fácil é levar o animal de volta para o lugar de onde pegou, o que, muitas vezes significa devolver para a rua.
Outras pessoas ficam com o animal até o primeiro "acidente". O cão pode ter destruído as plantas ou um móvel por exemplo. É a desculpa para a devolução. Sim, há quem devolva uma animal por esse motivo.
Às vezes um cão é devolvido porque ficou doente, porque uma criança vai nascer, ou porque a família vai mudar para uma casa menor ou apartamento e não “pode levá-lo”.
Em todos os casos, os adotantes se fazem de vítima: “pessoas que estão sendo levadas a tomar essas atitudes, por motivos de força maior”.
Mas a grande vítima dessa situação é o animal.
Imagine tirar um cachorro de um abrigo, ou da rua, dar a ele uma casa, uma família, comida boa, fazer ele acreditar que está protegido, amparado e depois devolvê-lo?
É desumano não pensar que os animais têm sentimentos e que esse cão ficará revoltado, traumatizado e infeliz.
Por isso, antes de adotar um animal pense muito! 
Veja se você tem capacidade de enfrentar os problemas que podem vir dessa adoção, se você tem condições financeiras de manter esse animal e se realmente você quer ter um bicho em casa.
Lembre-se que animais fazem sujeira, soltam pêlos, destroem coisas, fazem barulho. Se você não estiver pronto para lidar com isso, não adote. Ninguém é obrigado a adotar, a ter um bicho.
Fale com sua família e veja se todos estão de acordo, se vão cooperar para que essa adoção seja bem sucedida.
Lembre-se de incluir esse animal no seu projeto de vida. Você terá que ter espaço para ele, assim como tem para os membros da sua família. Terá que pensar onde deixá-lo no caso de viagens e outros imprevistos. Essa responsabilidade é do adotante, do tutor do animal. 
Uma adoção é para a vida toda desse animal, e ele pode viver mais de 10 anos. Esteja preparado para cuidar dele quando ele estiver doente, quando estiver idoso e exigir cuidados diferentes. Assim como os seres humanos passam a ter dificuldades, problemas de saúde e outras necessidades com o passar do tempo, os bichos também. Conte com isso.
Escolha um animal com o temperamento adequado 
ao que você precisa.            
Se têm crianças, não adote um cão agressivo. 
Se não tem espaço, não adote um cão agitado.
Se tem outros animais, veja se todos são sociáveis.
Se não tem paciência, não adote um filhote, há cães que já passaram dessa fase e estão só esperando por um lar!
E principalmente, nunca adote por impulso.
Sabemos que a adaptação é um processo difícil para o animal e o adotante, mas se o adotante tiver essa consciência, ele saberá passar por todas as dificuldades e terá um grande amigo. 
Não existe "período de experiência" em uma adoção. 
Animais não são objetos ou produtos que você adquire e troca ou devolve em uma loja caso mude de ideia. São seres vivos, com sentimentos e que devem ser respeitados como tal.
Na hora de adotar pense que o ser humano nessa história é você!
É você que tem de tomar decisões racionais, esperadas de um ser humano.
Então seja um ser humano responsável!
Desumano, é adotar e devolver!

Faça sua parte e passe esta mensagem adiante!
Será sua contribuição para que as pessoas se conscientizem e os absurdos que a gente vê acontecer diariamente, com devoluções pautadas em motivos banais passem a ser menos frequentes. 

Este fofo é o Porthos!
Ele está para adoção!
Para saber mais sobre ele, clique aqui!
                                                                                                                                                                           

Equipe CSF

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Primeira entrega do ano no Quintal do Grajaú



Hoje queremos compartilhar uma grande vitória com todos que colaboram, compartilham e curtem nosso trabalho.
Quando iniciamos a nossa Campanha das Sacolinhas de Natal, em dezembro do ano passado, tínhamos uma meta muito ousada, pois o número de animais atendidos pelo Projeto tinha triplicado em um ano. 
Na Campanha anterior atendíamos 101 animais e nesse ano somos 340! Na Campanha anterior arrecadamos 570Kg de ração e estávamos muito apreensivos se conseguiríamos a nossa meta para esse ano.
Mas a ajuda veio de todos os lados e muitas pessoas se engajaram nessa Campanha.
Obrigada a todos que doaram sacolinhas virtuais, curtiram e divulgaram nosso apelo no facebook.
Queremos agradecer a todos os amigos e voluntários do Cão Sem Fome, que arregaçaram as mangas para arrecadar ração,  especialmente à algumas pessoas, pois sem elas, nada teria sido possível: Luis e equipe da Corsaluuce Dogsplay, Toni, Adriana Dantas, Rose Zacardi, Dra. Tatti, Elaine e Izilda do Centro Amor Divino. Agradecer aos parceiros da Nefertite, do Pet Shop Zagos e da Cia das Rações.
Graças a ajuda de vocês conseguimos arrecadar 2 toneladas de ração superando todas as nossas expectativas!
Essa ração foi distribuída nos nossos Quintais, ajudando a alimentar nossos 340 peludos durante os meses de dezembro e janeiro.
Nesse fim de semana entregamos os últimos Kg de ração dessa Campanha, no Quintal da D Cecília. 
Foram 380kg que garantiram a alimentação dos 75 peludos desse Quintal até o fim do mês.
Obrigada a todos que ajudam o Cão Sem Fome se superar a cada dia e obrigada a todos pela confiança e carinho!
Só existimos graças a vocês, que todos os dias, nos ajudam a ajudar!

Glaucia Lombardi
Coordenadora do Cão sem Fome

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Dando uma força!


Domingo chuvoso, mas produtivo para o Cão Sem Fome, que arregaçou as mangas para ajudar a Protetora D. Silvia, que passa por grandes dificuldades.

Semana passada, postamos aqui um apelo para ajudar na reforma desse Quintal.
Conseguimos juntar alguns materiais, que haviam sobrado da obra no Quintal da D. Cecília no ano passado.
Logo cedo a coordenadora do Projeto, Glaucia, esteve no Quintal, junto com a voluntária Andrea, que fez o transporte de tijolos e telhas do Quintal do Grajaú até o bairro de São Mateus, onde fica o Quintal da D. Silvia.


Conseguimos também doações para pagar mais um dia do pedreiro.
Além do alambrado instalado e da reforma do muro, já foram erguidas quatro divisórias e com esse material conseguiremos terminar 5 canis, substituindo as precárias paredes de madeira por alvenaria.
Continuamos a Campanha para conseguir pagar a mão de obra do conserto do telhado, pois hoje chove dentro dos canis, o que obriga a D. Silvia a colocar casinhas dentro dos canis para os cães se protegerem. Isto é muito complicado e caótico.



A reforma do telhado está estimada em R$700,00.
Você pode colaborar com qualquer quantia através do Pag Seguro (botão de Doação localizado em nossa barra esquerda do blog) ou nos mandar um email para lhe enviarmos os dados bancários para depósito em conta.
Nós sempre dizemos que o pouco de cada um faz milagres. 
E faz mesmo.
Tudo o que foi e é realizado pelo Projeto é proveniente da boa vontade e ajuda de cada um de vocês.
Não deixe de fazer um pouquinho que seja porque acha que é pouco. NÃO É POUCO.
É assim que o Cão Sem Fome trabalha, fazendo o que pode para tornar a vida dos nossos peludos mais digna. 
Vamos fortalecer e ajudar essa corrente do bem?

Equipe CSF 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Reforma no Quintal da D. Silvia


 Há algum tempo nós postamos um apelo para uma reforma de emergência no Quintal da D Silvia. Leia aqui.

Com o dinheiro arrecadado nessa Campanha, conseguimos pagar o alambrado que custou R$465,00 e sobraram R$300,00 que foram usados na mão de obra.
Hoje voltamos ao Quintal para verificar o que foi feito.
O alambrado foi colocado antes das festas, evitando fugas e também que os animais pulassem de lá de cima, devido aos fogos de artifício que apavoram os peludinhos nessa época.


Em um dos lados foi feito um muro de alvenaria, para evitar contato com o vizinho.
A D. Silvia ganhou os tijolos e o cimento necessários para levantar esse muro e fazer os acabamentos.



















O alambrado que sobrou está sendo transformado em portões, para substituir os portões de madeira que estão despencando e como a necessidade é grande, D Silvia aproveitou o material que sobrou para fazer uma pequena reforma nos canis e eliminar as atuais casinhas de madeira.


Atualmente chove dentro dos canis e será necessário mexer no telhado também.
Mesmo para fazer o mínimo necessário, D Silvia precisa de ajuda para pagar a mão de obra.
Portanto o Cão sem Fome lança um apelo aos seus colaboradores: Vamos ajudar a D Silvia a pagar o pedreiro? 
Você pode doar qualquer quantia através do Pag Seguro ou depósito em conta.

Os peludos agradecem.

Equipe CSF

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Primeira entrega de ração do ano.:.Bebês para adoção


Sábado dia 05/01/13 fizemos nossa primeira entrega de ração do ano.

Foi no Quintal da Penha e do Paulinho, que recebeu 200kg de ração. 

Devido ao sucesso da Campanha das Sacolinhas de Natal, essa ração ainda faz parte das doações recebidas...

Muito obrigada a todos que colaboraram! Afinal a barriguinha dos nossos peludos não tira férias!
Infelizmente, nessa época do ano, a necessidade nos Quintais só aumenta.
Apesar de parecer absurdo, muitas pessoas abandonam seus animais para viajar. Além disso, muitos animais fogem e se perdem por causa das bombas das festas de final de ano.

Resultado: Quintais super lotados de animais que foram jogados, ou amarrados nas portas, ou resgatados de situações críticas pelos Protetores.
O Projeto não faz resgates, mas quando o resgate parte do próprio Protetor, só nos resta apoiar. Com isso precisamos de mais ração e teremos mais gastos com saúde no futuro.

Uma das formas de amenizar esse probelma é buscar adoção para alguns animais e com isso diminuir a população dos Quintais. Vamos nas próximas semanas intensificar a divulgação de animais para adoção e pedimos a todos que compartilhem e divulguem.
Serão doados castrados e vacinados.


ATHOS


PORTHOS


DARTAGNAN


ARAMIS

Interessado?
Mande-nos um email: caosemfome(ARROBA)gmail.com


Equipe CSF

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Amigas pra cachorro: Ivy e Nany

Este texto foi escrito pela nossa querida Ivy Farias, está disponível também no blog dela (acesse aqui!) e agora compartilhamos no CSF para que vocês conheçam mais uma história linda de amor!


"Eu via a Rose Nogueira se deliciando com a vida com um cachorro. 
Achava o máximo poder fazer parte da vida dela com os animais levando a Baja e o Requinho nas consultas veterinárias, dando um ou outro biscoito... Mas... não há nada que seja um "baratão" maior do que ter o seu próprio cachorro. 
Não faltam argumentos para não ter um cachorro, sejam estes que é muito caro, ou trabalhoso ou que o bicho sofre com nossa ausência. 
Argumentos para ter um cachorro? Só tenho um: o amor. Não existe nada melhor neste mundo do que ir no mercado e procurar o biscoito pro seu filho. Ou filha. 
Este amor é diferente daqueles que se compra em pet shops. Não que eu critique. Tem gente que ama de um jeito contrário do que eu amei todos os meus filhos, o Dólar, a Pauta. E a Nany. Quando vi a foto da Nany no meu Face, um grande amor nasceu de forma inexperada no meu coração. Nem eu mesma me via pronta para amar. "I Found Love/And didn't know I need it". But I did. Como tudo na minha vida, consulto antes o Meu Amor Maior, O Senhor. E foi Dele meu maior incentivo. 
Tenho para mim, que Deus ama mais os animais, pois Os fez primeiro e Os poupou no Dilúvio. Na Bíblia há passagens que Ele conta a história de Seu infinito amor por estes seres tão especiais. E foi quando Ele me contou que até "os cachorrinhos precisam das migalhas de seus senhores" entendi que a Nany tinha sido criada para mim. 
Foi numa segunda ensolarada que ela chegou aqui, assustada pela viagem, pela vida que tinha tido até ser encontrada por uma protetora de animais assistida pelo Cão Sem Fome, projeto que serei eternamente grata e que todos os dias está presente nas minhas orações e no meu coração. 
Demoramos dois dias para nos tornarmos melhores amigas. E mais um para sermos mães e filha. Aos poucos, a vida passou a ter mais um sentido, o do amor a minha cachorra. Descobri isso quando fui ao mercado e, de repente, era eu que procurava os bifinhos para minha Nany. 
Hoje não tem jeito de levar a vida diferente do que levo: sem minha amiga, companheira, filha, sem minha Nany. 
Todos os dias declaro para ela meu amor. "Nany, mamãe te ama demais!". Mas foi meu irmão que viu o jeito que ela mais gosta de ser amada, recebendo carinho na orelha com a cabeça apoiada no meu colo. 
No Dia Internacional dos Animais, o desejo mais profundo do meu coração é que todos possam amar um deles assim como eu amo a Nany, minha marrom!" 

E nós, do Projeto CSF, nos sentimos muito honrados e felizes por ter feito parte dessa história!..

Que muitos felizes recomeços como este se façam neste ano que se inicia!

Equipe CSF

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Entrega das Sacolinhas de Natal

Montamos este passo a passo da entrega das Sacolinhas de Natal CSF para você entender como é todo o processo envolvido nessa campanha!..

Importante: clique sobre a imagem abaixo para ela aumentar, você poder dar zoom, conseguir ler as legendas e ver melhor as fotos!



E mais um ano de muito trabalho recomeça!

FELIZ 2013 A TODOS!!

Equipe CSF