quarta-feira, 24 de julho de 2013

Cão Comunitário - Adote essa Ideia

Está se tornando cada vez mais freqüente empresas, escolas e órgãos públicos entrarem em contato conosco para que fiquemos com algum animal abandonado, que se encontra no local.

A história é sempre a mesma: O animal é super dócil, está sendo cuidado pelos funcionários, ou freqüentadores, mas não pode permanecer no local, então se não acharem uma ONG que venha buscá-lo ele será sacrificado.

A sociedade precisa urgentemente adotar uma postura mais cidadã e temos que ter mudanças nas leis, que possibilitem as pessoas bem intencionadas conseguirem resultados melhores do que sacrificar animais dóceis, bem cuidados e saudáveis.

A atual legislação não permite animais em órgãos e locais públicos, tais como: Parques, escolas, praças, estações, etc... E porque não?

Qual o problema de se adotar o sistema de “Cães Comunitários” nesses locais? Em São Paulo, a lei Estadual 12.916 de 2008 já permite Cães Comunitários: Cachorros que sejam adotados por grupos específicos de pessoas, que têm a responsabilidade de cuidar de um ou mais animais, sem necessariamente levá-los para casa. Essas pessoas precisam oferecer todas as condições para que os animais tenham uma vida saudável, sendo que os animais são castrados, vacinados e microchipados.

O mais famoso caso de Cão Comunitário teve sua história contada no filme “Sempre ao Seu Lado”, onde após a morte do seu dono o cão continua esperando por ele na mesma estação de trem ,e é cuidado por funcionários e passageiros.

Todas as escolas deviam adotar um Cão Comunitário, pois os benefícios são inúmeros: Além de ensinar as crianças a respeitar os animais, um cão trabalha o emocional e o psicológico das pessoas.

A desculpa que o cão pode morder a criança é lamentável. Cães  bem tratados e dóceis só mordem se forem ameaçados, pois cachorro não é saco de pancada. Crianças que convivem com animais são mais calmas e aprendem principalmente valores como respeito, responsabilidade, bondade e cidadania.

E o que se falar dos parques ou Condomínios Fechados? Qual o problema dos funcionários bem intencionados terem um Cão Comunitário, que faça companhia durante as rondas, durante a manutenção e limpeza e que usufrua desse espaço público?

As empresas deviam adotar também mascotes. A presença de um animal combate o estresse e a monotonia do dia a dia. Favorece a interação entre os funcionários e trabalha a afetividade e as relações interpessoais.

Cães Comunitários podem viver muito bem e muito tempo, sendo mantidos por uma comunidade em uma rua, praça, condomínio ou qualquer estabelecimento.

A proteção Animal é papel de toda uma sociedade e não pode ser apenas delegada às ONGS. O velho discurso: “Se você não ficar com o cão, ele será eutanasiado” não funciona mais. Todas as ONGS estão abarrotadas de animais graças ao descaso do poder público e ao comodismo de toda uma sociedade que acha que resolve o problema empurrando o animal para um Abrigo.

Cão Comunitário não é a solução de todos os problemas, mas salva vidas, promove mobilizações em prol da causa animal, fortalece as relações pessoais nas comunidades e alivia a super lotação em que se encontram as ONGS.

Cão Comunitário: Adote essa Ideia!

 
Se quiser saber mais sobre esse assunto acesse esse link e veja o que esse pessoal do bem anda fazendo por aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!