domingo, 20 de outubro de 2013

Pronunciamento do Cão sem Fome sobre o resgate dos animais no Instituto Royal

O promotor do Meio Ambiente de São Roque, Wilson Velasco, disse que a invasão do Instituto Royal fez com que se perdesse qualquer sustentação para o crime de maus-tratos. Velasco conduz há cerca de um ano uma investigação para apurar algum indício de violação dos direitos dos animais por parte do Instituto e até agora nenhuma medida havia sido tomada.

Nós perguntamos: Em um ano não acharam nada? Como se explica isso, se em menos de uma hora os manifestantes encontraram cães mutilados e todo o tipo de horror? Se a ação dos manifestantes invalida uma investigação que até agora se mostrou totalmente ineficaz, por outro lado cria um precedente histórico: Sim, estamos de olho! Estamos cansados da morosidade da justiça, e mais ainda de burocratas incompetentes. Chamamos atenção da população para os testes em animais e ficaremos atentos aos próximos passos dos órgãos responsáveis, dos políticos que se elegem com os votos da Proteção Animal e dos famosos que nela baseiam seu status.

Não foi o ideal? Os ativistas não usaram os caminhos mais inteligentes? Uma perícia foi totalmente invalidada? Mas foi a única saída! Sem a ação dos ativistas, o Instituto provavelmente iria sumir com os animais naquela noite mesmo e deixar todos passarem por idiotas. Todos os indícios mostravam isso e uma fuga mal sucedida é muito fácil de ser negada.

Estamos engatinhando na Proteção Animal, gente! Vivemos em um país, onde nem os direitos humanos são vivenciados, quanto mais os direitos dos animais! Somos descrentes, pois estamos cansados de esperar soluções que nunca vem! Alguém acredita na justiça? Na perícia? Na investigação? Isso no país do Mensalão???

Se essa ação, muito mais movida pela comoção do momento, do que pela razão é o que temos para hoje, acreditamos nisso como o primeiro passo para as mudanças que todos almejamos.

Sentimos que nos faltem líderes honestos e atuantes, engajados na Proteção Animal, mais preocupados com os animais do que consigo mesmos, e que tenham conhecimento e vivência suficiente para nos orientar sobre os caminhos para chegarmos aos nossos objetivos. A Proteção Animal é desorganizada, dividida e rachada por brigas de egos. Em alguns momentos podemos ver algumas correntes lutando juntas, mas isso é raro.

A violência nas manifestações do dia 19 eram mais que esperadas. Infelizmente, nenhuma manifestação até hoje salvou-se dos baderneiros que se infiltram para semear a dúvida quanto á seriedade das reivindicações. Foi assim nas manifestações que pararam São Paulo e mais recentemente, só para lembrar, na manifestação dos professores no último dia 15, que também teve quebra-quebra e vandalismo. Se as ações dos baderneiros não fosse planejada, a manifestação dos professores deveria ser o exemplo de educação e civilidade, e não foi. O que se viu ontem, junto com o vandalismo dos homens de capuz preto que queimavam carros, era o esforço dos manifestantes em impedi-los e muita vontade de manter o foco.  Esse fatos recorrentes em todas as manifestações legítimas, sejam por “passagem de ônibus”, “direitos dos professores”, ou “testes em animais” levanta uma séria questão: Muito provavelmente a maioria das ações de vândalos é “plantada” pelo grupo atacado para semear discórdia. Ainda precisamos aprender muito sobre a forma de nos manifestarmos, porém, dentro da história do nosso país, essa é uma aula pouco vivenciada.

Aos que se sentiram ofendidos com o sinal obsceno feito pela ativista carregando o pobre beagle no colo, pedimos um pouco menos de hipocrisia. Chocante é ver a fotografia do beagle que teve sue olho arrancado. Essa cena sim, deve ter despertado na maioria das pessoas, simpatizantes ou não, a vontade de levantar o dedo do meio para esse sistema podre e essa carnificina desnecessária permitida e financiada pelo governo e pelas grandes empresas. Em respeito aos nossos leitores não vamos divulgar a foto do beagle mutilado, mas ela é facilmente encontrada na internet.

A invasão do Instituto chama a atenção para nossos erros e defeitos, mas chama atenção também de toda uma sociedade para a nossa causa. Os ativistas estavam acampados há uma semana nos portões do Instituto e não havia nenhuma repercussão da mídia, quase ninguém sabia o que estavam fazendo lá.

A comoção geral causada pelo olhar dos beagles resgatados tem um efeito devastador sobre uma sociedade! Precisamos de heróis para uma luta! Principalmente para concorrer com as grandes mídias que manipulam as massas defendendo seus clientes e seus gordos contratos de patrocínio. Precisamos de experiências tocantes, que comovam, que inspirem, que chamem à reflexão e tragam mais e mais pessoas para a nossa causa. Somos uma minoria! É fato! Mas não significa que não estejamos com a razão.

Para aqueles que dizem que a ação toda foi inútil, que o Instituto continuará aberto e os animais simplesmente serão substituídos, prefiro lembrar que fez a diferença para cada animal resgatado. Não importa se serão substituídos, se milhares ainda vão morrer agonizando. Esses que foram resgatados não vão! Já valeu a pena!

Amigos da Proteção, vamos parar de dar tiro no próprio pé!? Parar de só apontar nossas próprias falhas e lamentar as injustiças que nos causam? Hora de união e apoio mútuo. O Cão sem Fome continua apoiando a ação que resgatou os animais, sejam eles 10, 100 ou 1000. Não importa! Fizemos o que podíamos ter feito.

Dentro disso, seja qual for o desfecho desse episódio marcante da Proteção Animal, acreditamos que os benefícios superam os danos. Se ao saldo for os cento e poucos animais resgatados e muito barulho , que seja! Aprendemos e seguimos em frente. A história ainda nem começou.
 
Glaucia Lombardi
Fundadora e Coordenadora do Cão sem Fome

3 comentários:

  1. Concordo plenamente com tudo ...A história ainda nem começou;mais já é um grande passo!

    ResponderExcluir
  2. Meu apoio incondicional. Nesse país que não pratica a JUSTIÇA, de nenhuma forma, façamos nós ajustiça. Nesse país de políticos corruptos, empresários inescrupulosos, administração pública inoperante, incompetente e corrompida, polícia omissa (por que será?), povo inculto, mal educado e indiferente, é o ambiente adequado para que fatos como este comecem a acontecer com cada vez mais intensidade. Se não se consegue salvar a dignidade dos brasileiros, que se salvem os animais. Pelo menos eles merecem. Ricardo.

    ResponderExcluir
  3. Concordo também plenamente com tudo......A história ainda nem começou;mais já é um grande passo! Podem contar comigo para sermos uma maioria na luta em defesa dos cães beagles e de todos os animais.Mara

    ResponderExcluir

Comente!