terça-feira, 16 de setembro de 2014

Nina, Banzé, Cibele e Bruno

Depois de um tempo conosco, apesar de parecer felizão, parecia que faltava algo ao Banzé (cãozinho adotado no Cão sem Fome LEIA AQUI). Ele precisava de uma companhia pra brincar. Foi quando decidimos adotar um irmão pro Banzé. Aí entrei em contato com a Rose do Cão sem Fome, mas não haviam machinhos filhotes aquela época, e ela me sugeriu que adotasse uma fêmea. 
Foi quando me deparei com a foto de uma menininha preta com peito branco e de meinhas brancas e olhar desamparado. "Bruno, achei a irmãzinha pro Banzé. Ela tem meinhas!! E vai chamar Nina, Antonina Maria". Tinha só um problema, estávamos sem carro e a filhote estava longe. Problema resolvido pela boa vontade da Andrea, voluntária do Projeto, que numa manhã de sábado trouxe nossa Nina, uma filhotinha de 3 meses e meio e cara de desamparada.

Já de cara percebemos que a personalidade da Nina era diferente da do Banzé. Ela "falava" muito com seu chorinho. E gostava de ficar grudada, principalmente de dormir em cima de nossa cabeça. Nina foi crescendo e ficando cada vez mais linda. De uma filhotinha de barriga inchada e com falhas no pelo passou a uma cachorrona com seus 30 quilos. Proporcional ao seu tamanho é sua doçura e o carinho que tem por nós. E mesmo grandona, sua posição preferida pra dormir é em cima de nós!!


Não tem perigo de perdermos a hora, Nina chora na porta pra nos avisar que é hora de levantar. E sempre nos recebe com uma alegria como se tivesse ficado dias sem nos ver.
A coisa que a Nina mais gosta é de ficar perto, de colo, de carinho. E de bolinha. Alternar essas duas coisas é seu ideal de paraíso!! E de pular na cama em cima de mim de manhãzinha assim que o Bruno abre a porta do quarto!​




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!